Hello 2017: ready!

E assim se passou um ano, e a sensação é que tudo passou num piscar de olhos.
Dou por mim a ler o post que fiz exactamente à 1 ano atrás, e nem sequer fazia a mínima ideia do que ainda teria que enfrentar.

2016 foi um ano bastante estranho, qualifico-o como sendo o meu ano off, ao estilo sabático.
O inicio do ano foi muito duro, ver a vida girar de ponta cabeça e ter forças para começar do zero requer bastante vontade  de continuar e viver, não mais apenas sobreviver.

Existe aquele velho ditado “Deus fecha uma porta mas abre uma janela”, e quando a janela não se abre? O que fazer nessa altura?
Juntar todos os pedacinhos espalhados pelo chão e tentar colá-los, pouco a pouco…

Neste ano perdi muitas pessoas, perdi a minha vida como a conhecia à 9 anos…mas em contrapartida ganhei-me a mim, novas pessoas, vivi novas aventuras que nunca pensei.

Àqueles que se cruzaram no meu caminho e ficaram, agradeço todas os momentos partilhados, as gargalhadas que me arrancaram e as lágrimas que enxugaram.

A todos os outros que partiram, não vou dar uma de ser iluminado e superior dizendo que desejo tudo de bom – porque estaria a ser hipócrita.
Por vezes temos que fazer uma limpeza na nossa vida como fazemos no facebook, eliminando tudo que é tóxico para poder seguir um novo caminho, mais leve.

Particularmente aos homens que se cruzaram comigo este ano, tenho apenas um recado .. se vocês não querem, porquê iludir? Porquê fingir que se importam?
A vida seria tão mais fácil se fossemos todos honestos em relação àquilo que queremos.

O ser humano é social, e por vezes nós queremos apenas isso, alguém com quem conseguimos ter uma conexão profunda emocional (e não, mensagens por whatsapp / facebook não contam).
O toque, o cheiro, as covinhas quando sorriem, a forma como reparam nos pequenos pormenores (você pede sobremesa, mas só porque sabe que mesmo eu não querendo, vou acabar comendo da sua), tudo isso é que nos faz apaixonar.

Hoje em dia, para salvaguardar a minha sanidade mental, trato os outros da mesma forma  que me tratam a mim. Claro que isso nem sempre é fácil, é um exercício diário mas necessário.. cansei se sofrer por quem não merece e tá de boa.

Não se quebre em mil pedaços, só para manter o outro inteiro

Para 2017, aprendi a duras penas que não vale a pena fazer muitos planos .. apenas posso prometer que vou fazer com que este novo ano valha a pena ser vivido, cada segundo, cada alegria, cada sorriso, cada tristeza e cada lágrima.

Pronta para fechar a pagina 366 deste livro de 2016 –> Vemo-nos em 2017 🙂