Good Girl : Gone Bad

Cada vez tenho mais a certeza que nos dias de hoje é muito comum ver a menina boa que se transforma em menina má.

Ela fazia tudo por ele, amava-o como ninguém mas também suportava tudo como ninguém. A partir de que data é que ficou socialmente aceitável que a mulher têm obrigação de fazer e de aguentar tudo?
Ela era autêntica, mas aos poucos tinha deixado de viver a sua própria vida para viver a dele, sempre com a desculpa que ele tinha muito trabalho e era esperado dela, além de ser uma óptima profissional, tratar da casa, marcar as férias, enfim..tratar de literalmente tudo.
Ele habituou-se a esse conforto, e nada fazia para ajudar pois sabia que ela sempre estaria lá “no matter what”, qualquer problema ela resolvia.

Os dias passavam, anos passavam e ela sentia que a vida não podia ser só isto, que em vez de companheirismo ela tinha solidão.
Amar não podia ser isto, e não porque ela tivesse uma visão demasiado romântica ou fantasiosa do que seria o amor, mas sim pela tristeza que sentia, a vida e a rotina não podiam ser simplesmente isto, esta inércia .. apenas sobreviver e não viver.

Ele foi-se sentindo cada vez mais forte, cada vez mais seguro do amor dela, e dando cada vez menos apoio, olhando cada vez menos para ela – Era como se ela fosse invisível…
Apesar da sua idade, ele não passava de um miúdo e as suas acções eram reflexo da sua imaturidade.
Talvez por pressão da sociedade ou por  mero conforto e interesse próprio foi deixando a relação andar, e assim passaram-se vários anos.
Nunca foi um homem confiante, os seus medos e problemas interiores reflectiam-se tanto nela ao ponto dela própria se anular para não causar nenhum tipo de problema.
A insegurança dele colidia frontalmente com a segurança dela, ele não entendi como é que ela poderia não se importar com o que os outros diziam, no final das contas ela era sempre o policia mau e ele o policia bom.

Com a rotina do dia-a-dia, ele começou a interessar-se por outras mulheres, afinal nada é tão excitante como no começo, já é tudo tão previsível e ela estava sempre ao lado dele quando ele precisava.
Só que a covardia dele não deixava ele ser honesto ou acabar com a relação, porque a verdade é que ele sempre gostou da dualidade das escolhas, se por um lado, sabia-lhe bem ter a mulher ao lado que lhe fazia tudo, por outro, adorava a excitação de andar à caça.

Mas nada dura para sempre, todas as acções têm a sua consequência e é muita ingenuidade achar que nunca nada terá consequência.
Ela disse BASTA, a menina boa transformou-se num bloco de gelo, completamente irreconhecível a olho nu.
Agora ela procura o certo, o bom, o sano .. livrou-se dele, de alguns amigos, de tudo o que era tóxico pois está muito menos tolerante.
Ela transformou-se, de que serve ser boazinha? Se no final, vamos acabar magoadas na mesma?
Agora vê o mundo sem palas mas com os seus próprios olhos, os mesmos que choraram de infelicidade e tristeza, a diferença é que agora têm uma carapaça à dor e não deixa entrar qualquer pessoa no seu ainda frágil coração.
Menina Má