Qualidade Vida : Tempo vs Coisas

Qualidade de vida não é ter coisas, mas sim ter tempo.
Confesso que quando tinha 20 anos não pensava assim, havia uma ânsia de ter as coisas, de viver tudo intensamente..agora com 31 as coisas estão um pouco diferentes, mas mesmo assim a constatação que faço é :
O mundo está cada vez mais conectado, é nos exigido mais e mais, e tudo isso tornou-se a nossa normalidade.
Mas será normal trabalhar 12horas por dia? Será que é normal estar sempre no facebook, instagram, e-mail, chat, whatsapps e descurar a interacção humana?

Como era a vida antes disso? Será que nos lembramos?
Se há coisa que me deixa muito irritada é a falta de respeito das pessoas hoje em dia.Vamos almoçar/jantar com amigos e todo o mundo está mais preocupado em postar aquilo que está a fazer ou falar com pessoas que não estão presentes (whatsapp), do que realmente viver a experiência.

Hoje o tempo é tão escasso, como é que podemos deitar fora os preciosos momentos com familiares e amigos para estarmos agarrados a um écran de telefone?

Trabalhamos, trabalhos e trabalhamos, sempre nos convencendo que precisamos de mais e mais e mais.
O dinheiro proporciona conforto, facilita as coisas (como é obvio), mas hoje em dia (talvez seja a maturidade a falar) eu dou mais valor a 30minutos passados com alguém especial que está ali de corpo e alma para mim do que um bem material.

Mesmo com os nosso amigos dizemos “vamos combinar!”, quando sabemos que é uma frase chavão e que na maioria das vezes não vai acontecer… É algo que fica bem dizer, mas a verdade é que não vamos combinar, não vamos marcar jantar nenhum nem vamos aparecer de surpresa.
Perdeu-se o contacto real, a intimidade, o cheiro, o toque… lembramos as recordações passadas mas não temos vida para fazer novas memórias.

Temos é de arranjar uma vida, isso sim, porque esta vida de pressa é só uma desculpa para não pararmos e encararmos a verdade.. e qual é essa verdade?
Que é muito difícil mudar, os hábitos já estão tão enraizados que jogar tudo para o alto é quase impossível, mas eu queria dizer-vos que é doloroso sim mas a concretização de levar uma vida plena e não estar em piloto automático vale e muito a pena!

Nunca se esqueçam que no final : “Quem quer faz, quem não quer arranjar desculpas!